10 dicas de como investir com segurança

10 dicas de como investir com segurança

10 dicas de como investir com segurança

Quando se fala em investir com segurança, pode ser que a primeira ideia seja fazer uma poupança. Pois dentre todos os tipos de investimentos, este certamente é o mais seguro. Mas não é o mais rentável.

E quando se pensa em investimento com alta rentabilidade, imaginamos aplicações mais voláteis, com maior risco. Renda fixa, rendas variáveis, mercado imobiliário, Forex, criptomoedas.

Mas é possível investir com segurança e ter boa rentabilidade? Para entrar no mercado financeiro, precisa ter uma quantia alta? Veja a seguir 10 dicas de como investir com segurança.

1) Tenha um fundo de emergência

Antes de mais nada, faça um fundo de emergência. Esse valor é calculado sobre as suas despesas mensais, tanto fixas quanto variáveis. Você pode fazer a média dos últimos 12 meses para obter um valor aproximado.

O ideal é guardar um valor entre 10% a 20% das suas receitas mensais. Essa quantia deverá ser coloca em um investimento de baixo risco e alta liquidez. Dê preferência para alguma renda fixa e tente fugir da poupança.

Esse é um hábito que deve ser adquirido e exercitado todos os meses: poupar e aplicar. E lembre-se do mais importante: o fundo de emergência só dever ser usado em uma emergência. Evite utilizar para coisas supérfluas.

2) Estude o mercado financeiro

Enquanto você vai montando seu fundo de emergência, reserve um tempo e estude o mercado financeiro. Leia informações sobre todos os tipos de investimentos existentes.

Procure entender as nomenclaturas utilizadas nesse meio. Saiba a diferença entre renda fixa e renda variável. Quais são as opções de investimento no cenário nacional e quem são os agentes desse mercado.

3) Estabeleça objetivos

Outra dica valiosa tange sobre os seus objetivos em relação aos seus investimentos. Ter objetivos de curto, médio e longo prazo bem definidos ajudam a te manter focado e motivado. 

Assim, segundo alguns especialistas da área financeira, o ideal é fazer uma lista com os objetivos. Tente selecionar no máximo 5 e separe-os conforme o prazo que você quer implementá-los.

4) Conheça o seu perfil

Também é imprescindível conhece o seu perfil de investidor, pois assim poderás escolher melhor seus investimentos. Existem basicamente 3 tipos de investidores, que são:

  • Conservador
  • Moderado
  • Arrojado (agressivo)

Algumas corretoras e instituições possuem questionário online gratuito para fazer este teste. Assim, você poderá investir de maneira mais adequada ao seu perfil e aos objetivos já traçados.

5) Procure uma instituição financeira

A maioria dos bancos atualmente possui produtos de renda fixa, como LCI/LCA, CDB, Fundo DI. Mas também existem diversas corretoras onde é possível investir em renda fixa e variável ao mesmo tempo.

Além disso, é importante observar se a instituição está devidamente credenciada pelos órgãos regulamentadores, como a CVM. Assim como verificar as taxas praticadas em cada tipo de investimento.

6) Investindo mensalmente

Outro ponto fundamental é estabelecer um valor de investimento todos os meses. Essa quantia pode ser determinada com base nos seus rendimentos ou pode ser estipulado um valor mínimo por mês.

Também reveja seus objetivos de curto, médio e longo prazos para estabelecer os valores a serem investidos. Bem como os tipos e prazos de aplicação que mais se adequam ao seu perfil.

7) Diversifique os investimentos

Mas aí bate aquela dúvida: em qual aplicação devo investir? Uma coisa é certa: “nunca coloque todos os ovos em uma mesma cesta” – Warren Buffett. E ele tem toda a razão. A palavra de ordem aqui é diversificação.

Se o seu perfil é mais conservador, invista mais em produtos de renda fixa com alta liquidez. Mas também reserve uma pequena parcela para investimentos em renda variável e aprenda sobre este mercado.

Contudo, se o seu perfil for mais arrojado, busque a renda variável. Mas não deixe lado as opções da renda fixa. Elas podem ser a sua garantia em momentos de oscilação nesse mercado tão volátil. 

8) De olho na liquidez

Liquidez é a facilidade com que os ativos podem ser transformados em dinheiro. Ou seja, quanto maior a liquidez, mais rápida é a conversão do investimento em espécie.

Antes de optar por algum tipo de aplicação, saiba quais os prazos de vencimento de cada um. Pois muitas vezes você só terá vantagens se o capital ficar investido por 1, 3, 5, 10 ou mais anos.

9) Analise seus resultados

Além de investir mensalmente, você precisa acompanhar suas aplicações e seus resultados. Assim, é aconselhável fazer uma análise dos seus rendimentos a cada 6 meses.

Com isso, você poderá verificar se o retorno obtido está em consonância com as suas metas e objetivos. Assim, se for necessário, fazer ajustes e escolher outros tipos de investimentos mais adequados.

10) Tenha disciplina e paciência

Não existem investimentos que te farão rico da noite para o dia. Isso é mito. A verdade é que, investir requer muita disciplina e paciência. Os seus ganhos vão depender, basicamente, dos passos colocados acima.

Mesmo para quem investe no mercado de ações, onde é possível ter rentabilidades altíssimas em apenas um dia. O entusiasmo pode colocar tudo a perder no movimento seguinte, se não houver disciplina e paciência.

Investimentos Financeiros

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *